Início Notícias Grupo móvel do MPT constata condições precárias de trabalho em obra da...

Grupo móvel do MPT constata condições precárias de trabalho em obra da NESA

O Ministério Público do Trabalho da 8ª Região juntamente com o Superintendência Regional do Trabalho e Emprego no Pará, em cumprimento às operações anuais de fiscalização de obras do PAC (Plano de Aceleração do Crescimento do governo federal) e de combate ao trabalho escravo, constataram condições precárias de trabalho na região de Pimental, um dos sítios de Belo Monte, localizado a 40 km de Altamira, no oeste do Estado.  

Em atendimento a denúncias, o grupo móvel do MPT e da SRTE/PA encontrou sérias irregularidades na construção de uma escola, localizada nas proximidades do sítio que abrigará a casa de força complementar da usina. Quem responde pela obra é a empresa Tropical Engenharia, com sede em Brasília, contratada pela Norte Energia para executar uma das exigências condicionantes de Belo Monte – isto é, obras compensatórias dos impactos causados pelo empreendimento.

Após a constatação de precariedades referentes, principalmente, às condições de alojamento e higiene dispensadas aos trabalhadores, a obra da escola foi imediatamente interditada. O responsável pela Tropical Engenharia não foi encontrado, no primeiro momento, para receber a notificação do Ministério.

O MPT já comunicou a Norte Energia sobre a situação irregular de sua contratada e advertiu sobre a necessidade de fiscalização mais rigorosa quanto às terceirizadas pela empresa, a qual deve ser responsabilizada de forma solidária no caso. A continuidade das investigações ficará a cargo da Procuradoria Regional do Trabalho no Município de Santarém.

As informações são do MPT

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*


Últimas notícias

Protesto contra Norte Energia na Transamazônica termina com demandas enviadas ao MPF

Depois de cinco dias de ocupação e trancamento da Transamazônica na altura do km 27, a manifestação de pescadores, ribeirinhos, agricultores e...

Amazon Communities Protest to Maintain the Xingu River Alive

Foto: Lilo Clareto This Monday morning (11/09), over 150 representatives of fishermen, riverbank communities, family farmers and the...

Comunidades de 5 municípios trancam a Transamazônica por liberação de água no Xingu

Na manhã desta segunda, 9, cerca de 150 pescadores, ribeirinhos, pequenos agricultores e indígenas Curuaya e Xipaya dos municípios de Altamira, Senador...

Banzeiro, o novo podcast do Movimento Xingu Vivo

A partir de julho de 2020, o Movimento Xingu Vivo para Sempre passa a produzir o podcast Banzeiro, para falar de coisas...