Início Notícias Brasil está refém de Belo Monte, diz Marina Silva

Brasil está refém de Belo Monte, diz Marina Silva

O Brasil está refém de Belo Monte. A afirmação é da ex-senadora Marina Silva (PV-AC), ao avaliar o planejamento energético do país para os próximos anos, que ela considera insuficiente (Folha online, 27.04.2011).

Para ela, a mega usina hidrelétrica, que terá mais de 11 mil MW (megawatts) de capacidade instalada, não tem viabilidade econômica e social. Marina frisou que o setor público sustenta o projeto, diante da falta de interesse de agentes privados.

“A gente vive com a corda no pescoço a cada ano, com risco de apagão. Não podemos ficar reféns de um empreendimento como Belo Monte. Vão passar por cima dos [índios] caiapós e fazer de qualquer jeito?”, afirmou, em debate promovido pela Fundação Heinrich Böll na UFRJ, no Rio, que discutiu o uso de energia nuclear.

Marina Silva admitiu a utilização da região Amazônica para viabilizar alguns projetos, desde que sejam utilizados rigorosos critérios ambientais. Segundo ela, até pouco tempo atrás, as usinas do rio Madeira eram apresentadas como a grande solução do país.

“Passaram-se alguns meses e veio Belo Monte. Daqui a pouco, aparece outro projeto desse tipo”, observou. Se o país priorizasse o investimento em biomassa, com a produção a partir do bagaço de cana de açúcar, o Brasil poderia gerar o equivalente a três usinas de Belo Monte, destacou a ex-ministra do Meio Ambiente.

Não há justificativa econômica e, especialmente, ambiental, para se construir novas usinas nucleares, acrescentou Marina, lembrando ter votado contra o projeto de Angra 3 dentro do CNPE (Conselho Nacional de Política Energética), quando era ministra, no governo Lula.

Ela defendeu que o Brasil precisa experimentar uma “desadaptação criativa” na área de energia, ou seja, reduzir a dependência de combustíveis fósseis, como petróleo, gás e carvão, em troca do uso cada vez maior de energias alternativas.

“As energias limpas já não são mais consideradas como nichos, e sim como fontes que geram tecnologia e emprego. Vamos inviabilizar o planeta se o foco for mantido nos combustíveis fósseis”, observou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*


Últimas notícias

Nota de solidariedade ao povo Munduruku

O Movimento Xingu Vivo para Sempre quer expressar sua solidariedade ao povo Munduruku, sua indignação contra o cotidiano de violência a que...

Beiradeiros, Xingu Vivo e SDDH entram com representação criminal contra responsáveis por danos à Volta Grande do Xingu

Depois da divulgação de um acordo firmado entre o Ibama e a Norte Energia que, na última semana, permitiu que a empresa...

Ibama e a sentença de morte do Médio Xingu

Por Verena Glass - No ano de 2020, o Médio Xingu sofreu uma das piores secas da sua história. Aliado a um...

Ibama contraria ministério e mantém decisão de determinar que Belo Monte libere água no rio Xingu

André Borges, O Estado de S.Paulo - Pressionado de todos os lados pelo governo, o Ibama decidiu levar adiante a sua decisão...