Início Notícias À Margem do Xingu – Vozes não consideradas

À Margem do Xingu – Vozes não consideradas

“O rio pra mim é um velho amigo”. A afirmação é impregnada da relação que os habitantes da bacia do Xingu tem com o rio. Ali, tudo depende dele: água para beber, para pescar, para banhar, para cozinhar… Com relatos de ribeirinhos, indígenas, agricultores e atingidos pela possível construção da hidrelétrica de Belo Monte, além de depoimentos de especialistas, o documentário “À Margem do Xingu – Vozes não consideradas” faz uma reflexão sobre o processo histórico deste polêmico projeto e o futuro incerto da região.

Veja trailer do vídeo.

 

A polêmica em torno da construção de Belo Monte na bacia do rio Xingu, em sua parte paraense, já dura mais de 20 anos. Considerada a maior obra do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal, a obra vem sendo alvo de críticas e intensos debates na região. Movimentos sociais e lideranças indígenas da bacia do Xingu são contrários à Belo Monte porque consideram que os impactos socioambientais não foram dimensionados de forma adequada. Além disso, o governo brasileiro vem atropelando o processo de licenciamento ambiental, sem garantir que as condicionantes mínimas para aliviar os graves efeitos sobre a região e sua população sejam cumpridas.

O documentário, uma co-produção Brasil e Espanha, foi dirigido pelo catalão Damià Puig e está na seleção oficial do IV Festival de Cinema de Paulínia, que acontece de 06 a 15 de julho no interior de São Paulo. “À Margem do Xingu – Vozes não consideradas” foi exibido ontem pela primeira vez, mas já está inscrito em cerca de cem festivais cinematográficos no Brasil e no mundo.

6 COMENTÁRIOS

  1. "À Margem do Xingu" ganhou o prêmio de melhor documentário na escolha do Júri Popular no 2011 Festival de Paulínia! __É o começo da missão do filme, que é difundir as vozes não consideradas e levar a discussão do tema, com informações e depoimentos de quem será atingido pela construção de Belo Monte, para o maior número de pessoas!__No dia da estreia, na quarta feira 13, o teatro estava lotado e a recepção do público foi incrível.__Muitos espectadores foram conversar com os personagens do filme, agradecendo-os por estarem nessa luta e se colocando à disposição para ajudar no que for possível!__Muito obrigada à Juma, Toinha, Lucimar e Luciano por estarem presente em Paulínia, represantando todo o povo do Xingu!__Esse é o começo da longa viagem que o filme percorrerá pelo mundo, levando a problemática de Belo Monte aos quatro cantos!____Viva Xingu Vivo !! ____Parabéns para Damià Puig, Rafael Salazar e Janaína Welle e toda a equipe pela realização desse filme !!

  2. Vozes não consideradas não poderia ter melhor frase. Quem de nós povo do Xingu tá opinando no que pod ser o maior desastre socioambiental. Quem ouve o nosso clamor do preço das coisas está pela hora da morte em Altamira. E os alugueis? Triste de um altamirense que tenha que pagar aluguél? Quem tá ouvindo nossa voz em dizer que essa cidade está sem comando?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*


Últimas notícias

Banzeiro, o novo podcast do Movimento Xingu Vivo

A partir de julho de 2020, o Movimento Xingu Vivo para Sempre passa a produzir o podcast Banzeiro, para falar de coisas...

Podcast BANZEIRO

A partir de julho de 2020, o Movimento Xingu Vivo para Sempre passa a produzir o podcast Banzeiro, para falar de coisas importantes para...

Projeto Belo Sun coloca Amazônia brasileira em risco de contaminação

ISA - Uma avaliação técnica concluiu que a mina de ouro que a empresa canadense Belo Sun Mining pretende instalar na Volta...

Debate Amazônia em conflito: quem põe preço e quem dá valor – a disputa entre os predadores e os povos da floresta

A Amazônia sempre esteve em disputa entre os que a parasitam e aqueles que nasceram nos territórios e deles vivem. Há...