Início Notícias Condicionantes: Norte Energia informa quando quer e o que quer ao Ibama.

Condicionantes: Norte Energia informa quando quer e o que quer ao Ibama.

A Norte Energia mudou a data de entrega do segundo relatório de atendimento das condicionantes e execução do Plano Básico Ambiental (PBA) de 15 de maio de 2012 para 31 de julho, dois meses e meio depois da data prevista para a fiscalização do Ibama. Para a sociedade civil interessada, é impossível acompanhar a fiscalização do órgão ambiental, que depende totalmente do que a empresa quer lhe relatar e da data em que a empresa quer se manifestar. Não há transparência no processo, e não há como acompanhar a implantação do empreendimento a partir do Ibama.

A Norte Energia se nega a apresentar o segundo relatório de condicionantes e do PBA argumentando que seu cronograma de obras não coincide com o cronograma de fiscalização do Ibama. Dito argumento resulta pouco plausível, uma vez que a empresa já sabia tanto de seu cronograma de obras como do cronograma de fiscalização.

Segundo a Parecer Técnico n°143/2011 que avaliou o primeiro relatório, a Norte Energia deveria encaminhar para o Ibama “até o dia 15 de novembro e 15 de maio de cada ano, durante todo o período de implantação do empreendimento, e que os órgãos intervenientes devem receber os relatórios dos programas pertinentes a suas análises no mesmo prazo, com exceção dos que tiverem definição de periodicidade distinta.”

Não tem nenhuma explicação o fato do Ibama ter permitido que o relatório mudasse de data e que os programas com cronograma diferente enviassem seus relatórios posteriormente. Já no primeiro relatório, o Ibama reclama que nele não foram enviados dados brutos sobre o atendimento das condicionantes e a execução do PBA, o que deixa o Ibama preso à avaliação que a própria empresa faz sobre o cumprimento de suas obrigações.

“O primeiro relatório semestral de acompanhamento do PBA foi apresentado em 16/11/2011, por meio do Ofício CE NE 545/2011 – DS, porém não apresentou os dados brutos solicitados na condicionante.” (Parecer Técnico n°143/2011, p 74).

O governo federal e a empresa esperam que a sociedade civil tenha que se contentar com a fiscalização do Ibama e a falta de transparência da empresa para monitorar o cumprimento das condicionantes e a execução do PBA?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*


Últimas notícias

Nota de solidariedade ao povo Munduruku

O Movimento Xingu Vivo para Sempre quer expressar sua solidariedade ao povo Munduruku, sua indignação contra o cotidiano de violência a que...

Beiradeiros, Xingu Vivo e SDDH entram com representação criminal contra responsáveis por danos à Volta Grande do Xingu

Depois da divulgação de um acordo firmado entre o Ibama e a Norte Energia que, na última semana, permitiu que a empresa...

Ibama e a sentença de morte do Médio Xingu

Por Verena Glass - No ano de 2020, o Médio Xingu sofreu uma das piores secas da sua história. Aliado a um...

Ibama contraria ministério e mantém decisão de determinar que Belo Monte libere água no rio Xingu

André Borges, O Estado de S.Paulo - Pressionado de todos os lados pelo governo, o Ibama decidiu levar adiante a sua decisão...