Início Notícias Romaria das Águas solta 1200 tartaruguinhas no Xingu em protesto contra Belo...

Romaria das Águas solta 1200 tartaruguinhas no Xingu em protesto contra Belo Monte

Movimentos sociais de Altamira, Vitória do Xingu e Senador José Porfírio (Souzel), no Pará, realizaram domingo (20) a primeira Romaria das Águas em defesa do Rio Xingu e contra a construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte. O ato, idealizado pela Igreja Católica em parceria com o Movimento Xingu Vivo Para Sempre e o Movimento Negro da Transamazônica, contou com a  participação de cem pessoas, entre ativistas, pescadores e ambientalistas.

Uma romaria fluvial levou os participantes das três cidades – as mais impactadas pela obra – dos portos de Vitória e Souzel até a praia Munhenhê, na área conhecida como Tabuleiro do Embaubal, o maior nascedouro de quelônios da América do Sul. Localizado a jusante do reservatório, o Tabuleiro, arquipélago relativamente bem preservado, é considerado de “importância biológica extremamente alta” pelo Ibama. De acordo com cientistas que pesquisaram a área,  a sedimentação do rio provocada pela usina será fatal para as tartarugas.

Para celebrar a vida e denunciar o que potencialmente pode ser destruído caso a barragem seja construída, foram despejadas na beira da água cerca de 1200 filhotes de tartarugas, jabutis e tracajás. A ação foi proposta pela Secretaria do Meio Ambiente de Souzel, através do programa Quelônios Para Sempre, que recebe apoio da WWF Brasil.

Durante a celebração em Munhenhê, discursos da igreja, movimentos e prefeitura colocaram em xeque o modelo de desenvolvimento que prioriza a expansão do latifúndio, do agronegócio e do desenvolvimento destruidor, em detrimento da biodiverside, dos povos tradicionais e da Amazônia. A manifestação aconteceu no dia da Consciência Negra, data também resgatada na Romaria.

Confira abaixo, na íntegra, o discurso da coordenadora do Movimento Xingu Vivo Para Sempre, Antônia Melo, na praia de Munhenhê, em Souzel.

 

8 COMENTÁRIOS

  1. Acho um desrespeito ao povo do Xingu,eles estão sendo ignorados nos seus direitos,suas vidas estão ameaçadas.
    Temos de unir e dizer não a este projeto assassino,de devastação e destruição da Amazonia e de seu povo.
    E para isso,temos de conseguir o maior numero de brasileiros e de assinaturas na luta contra a Usina de Belo Monte.

  2. Um país como o Brasil, não deveria comportar governantes sem consciência ético-política "globalizada", sem respeito aos direitos humanos, sem o respeito a Vida e ao Planeta! Política deveria ser "vocação", e não jogo de interessesses políticos e financeiros. Ou ainda acham que índio nao é gente!?
    "Quem morre calado é sapo, debaixo do pé do boi", já cantava uma companheira de luta no MA!
    O repudio a esse projeto está sendo divulgado pelos conscensuaosos críticos além fronteiras, e aqui na Europa temos sido ativos do modo mais possível. Uno-me a todos nessa luta.
    Cordialmente,
    Lu.

  3. Um país como o Brasil, não deveria comportar governantes sem consciência ético-política "globalizada", sem respeito aos direitos humanos, sem o respeito a Vida e ao Planeta! Política deveria ser "vocação", e não jogo de interessesses políticos e financeiros. Ou ainda acham que índio nao é gente!?

Deixe uma resposta para Carol Cancelar resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*


Últimas notícias

Ação Cautelar da Defensoria Pública suspende licenciamento de Belo Sun

Em decisão favorável à Ação Cautelar proposta pela Defensoria Pública do Estado, foi garantida a suspensão da licença de instalação do Projeto de Mineração...

Assassinada há 15 anos, Dorothy Stang segue inspirando resistencias em Anapu

Nesta quarta, 12 de fevereiro, completaram-se 15 anos do assassinato da Irmã Dorothy Stang, contratado por um consórcio de fazendeiros que atuavam...

MPF amplia pedidos à Justiça e quer cancelamento de processos minerários em terras indígenas de todo Pará

MPF/PA- O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou ação com pedido urgente para que a Justiça Federal em Marabá (PA) cancele...

Mineração em terras indígenas: a proposta do governo Bolsonaro em 10 perguntas e respostas

Cristiane Prizibisczki, O Eco - O presidente Jair Bolsonaro assinou, na última quarta-feira (5), o PL 191/2020, que regulamenta a exploração...