Início Notícias Visita de Dilma a Obama terá protesto na Embaixada brasileira em Washington...

Visita de Dilma a Obama terá protesto na Embaixada brasileira em Washington contra políticas ambientais e sociais

Nesta segunda, 9, organizações ambientalistas e de apoio aos movimentos sociais e indígenas brasileiros farão uma grande manifestação contra as políticas sociais e ambientais do governo brasileiro em Washington, onde a presidente Dilma Roussef se reúne com o mandatario americano Barack Obama.

Com o slogan “Reforma agrária já! Nenhum mega-barragens na Amazônia!  Veto ao Código Florestal! Parem de matar ativistas!”, os manifestantes se encontrarão na American University as 8h30h e no  Sheridan Circle as 9h, de onde marcharão para a Embaixada Brasileira. Na embaixada, ocorrerá um ato em memória dos mártires da Amazônia – Irmã Dorothy Stang, Chico Mendes, os 19 militantes do MST assassinados em Eldorado dos Carajás, e os lideres extrativistas do Pará, José  Claudio Ribeiro da Silva e Maria do Espirito Santo.

O ato contará com a participação do jornalista brasileiro Felipe Milanez, que documentou o caso do assassinato de José Cláudio e Maria do Espírito Santo,  mortos por defender a floresta contra madeireiros no Pará, e Miguel Carter, professor da Escola Americana da Universidade de Serviços Internacionais, editor do livro Desafiando a Desigualdade Social: O MST e reforma agrária no Brasil.

Denúncias
De acordo com os organizadores do protesto, o ato pretende alertar para os problemas sociais e ambientais que ocorrem no país que, em junho, deverá sediar a Rio +20, cúpula da ONU para o meio ambiente. “Dilma Rousseff está sob crescente escrutínio por suas politicas ambientais, de direitos humanos e de reforma agrária. Os principais movimentos sociais e sindicais do campo, entidades ambientalistas e de direitos humanos, publicaram recentemente duas cartas manifestando sua preocupação sobre o retrocesso em questões sócio-ambientais [no país]. As principais denúncias incluem o apoio tácito do governo a alterações regressivas no Código Florestal Brasileiro, o atropelamento de direitos humanos para construir a mega-barragem de Belo Monte na Amazônia, a falta de políticas eficazes para promover a reforma agrária e a agricultura sustentável, e a impunidade para atos de violência contra ativistas, camponeses e povos indígenas. A marcha em Washington, DC vai expressar a solidariedade com os movimentos sociais e ativistas de direitos humanos e ambientais no Brasil. Essas organizações da sociedade civil pedem que a administração Rousseff  honre compromissos assumidos em sua campanha eleitoral, e evite o embaraço potencial para o Brasil como anfitrião da conferência Rio +20 de não ter uma prática coerente com seu discurso”.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*


Últimas notícias

COVID 19 em Altamira: restrições são inócuas frente a falta de ação, afirmam movimentos sociais

Na última segunda feira, 23, o prefeito de Altamira publicou um decreto no qual anunciou as medidas de segurança a serem adotadas...

Comunicado: Funcionamento do Movimento Xingu Vivo para Sempre

A tod@s @s amig@s, parceir@s e companheir@s, comunicamos que, seguindo as orientações das autoridades de saúde, o escritório do Movimento Xingu Vivo para Sempre estará...

Mulheres da Amazônia marcharam contra a violência doméstica, institucional e Territorial

Por Daniela Silva - As múltiplas violências: esse foi o tema da caminhada das mulheres do maior município do Brasil e terceiro ...

O Xingu colapsou e sobrevida do povo está se inviabilizando, denunciam Guardiões

Em encontro com organizações como a Defensoria Pública e o Ministério Público do Estado, com técnicos do Ministério Público Federal, do Comitê Nacional em...