Início Notícias Possíveis financiadores de Belo Monte recebem documento que alerta sobre riscos

Possíveis financiadores de Belo Monte recebem documento que alerta sobre riscos

Cerca de 20 instituições financeiras, como bancos públicos e privados, fundos de pensão e outros investidores, receberam neste dia 19 umea cópia do relatório que traz um alerta sobre os riscos que podem enfrentar caso concordem em financiar a Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu (PA).

O documento  “Análise de Riscos para Investidores no Complexo Hidrelétrico Belo Monte”, produzido pelas ONGs Amigos da Terra – Amazônia Brasileira e International Rivers, explica que instituições financeiras que vierem a investir em Belo Monte podem sofrer grande prejuízo financeiro, já que o desempenho da usina não compensa seu custo.

Além disso, por ser um projeto que enfrenta resistência da sociedade e de povos indígenas, e que causa sérios impactos ao meio ambiente, Belo Monte pode trazer danos irreparáveis à imagem de uma empresa ou instituição.  “Bancos e outros financiadores devem enfrentar riscos financeiros e de reputação, dado o enorme potencial de danos ambientais e sociais”, explica o coordenador de Eco-finanças da Amigos da Terra e co-autor do estudo, Roland Widmer.

Segundo o estudo, as instituições financeiras que optarem por investir em Belo Monte poderão ser co-responsabilizadas pelos danos sociais e ambientais que a usina causar.

Ações na Justiça
Além das questões financeiras e de impactos ambientais, as empresas e instituições parceiras do projeto podem enfrentar  ações na Justiça.  Até o momento, o Ministério Público Federal e organizações da sociedade civil impetraram mais de dez ações civis públicas contra o projeto de Belo Monte, questionando ilegalidades do processo de licenciamento ambiental.

“Apenas o reassentamento forçado de comunidades indígenas que vivem ao longo da Volta Grande do Xingu – um trecho de 100 km onde o rio será desviado para canais artificiais para gerar eletricidade – pode resultar em ações de até um bilhão de dólares”, explica o procurador da República Felício Pontes.

O consórcio e outros investidores responsáveis pela obra também enfrentam reclamações sobre violações de acordos internacionais sobre direitos humanos e proteção ambiental nas Nações Unidas e na Comissão Interamericana de Direitos Humanos, além de uma petição on-line, que pode ser assinada no site Avaaz: https://secure.avaaz.org/po/pare_belo_monte/?vl

1 COMENTÁRIO

  1. O MUNDO NÂO PODE PERMITIR ESTE CRIME HEDIONDO CONTRA A NATUREZA.ISTO SÒ È DE INTERESSE DE GOVERNO CORRUPTO E ASSASSINO. BELO MONTE SERÀ A HECATOMBE UNIVERSA !LEMBREM-SE QUE A NATUREZA SE VINGA.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*


Últimas notícias

Belo Monte aumentou emissões de gases-estufa no Xingu em cerca de 3 vezes, diz estudo

Por Folha de São Paulo - Cercada de críticas desde o início do seu projeto, a usina hidrelétrica de Belo Monte gerou...

Justiça cancela acordo do Ibama com a Norte Energia sobre uso da água da Volta Grande do Xingu

Por MPF - A Justiça Federal cancelou o termo de compromisso entre o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e a...

Punição para a cadeia de culpados pela violência contra a nação Munduruku

Esta quarta, 26 de maio, foi um dia terrível. Criminosos ligados ao garimpo que invade, destrói, empesteia e mata no território Munduruku,...

Garimpeiros atacam e incendeiam aldeia de liderança Munduruku contrária ao garimpo no Tapajós (PA)

Do MPF - Um grupo de garimpeiros armados atacou nesta quarta-feira (26), no início da tarde, a aldeia Fazenda Tapajós, em...