Início Notícias Anistia Internacional denuncia Belo Monte em relatório sobre direitos indígenas nas Américas

Anistia Internacional denuncia Belo Monte em relatório sobre direitos indígenas nas Américas

A Anistia Internacional, uma das mais importantes entidades de monitoramento, denuncia de violações e proteção de direitos humanos, acaba de lançar um novo relatório onde avalia as relações de Estados nacionais com as populações indígenas.

Tratando de violações na Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Equador, Guatemala, México, Panamá, Paraguai, Peru e Estados Unidos, o documento “Sacrificando direitos em nome do Progresso – Povos Indígenas ameaçados nas Américas” avalia grandes projetos governamentais de profundos impactos sobre as populações indígenas, processos legislativos truncados e medidas de proteção deficitárias, questionando as políticas de Estado sobre as relações com os indígenas.

No caso brasileiro, a Anistia destacou as violações de direitos cometidas pelo Estado no decorrer do projeto de Belo Monte, bem como a situação calamitosa dos Guarani Kaiowa, ameaçados pela expansão do agronegócio sojeiro e canavieiro no Mato Grosso do Sul.

Clique aqui para ver o documento na íntegra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*


Últimas notícias

Banzeiro, o novo podcast do Movimento Xingu Vivo

A partir de julho de 2020, o Movimento Xingu Vivo para Sempre passa a produzir o podcast Banzeiro, para falar de coisas...

Podcast BANZEIRO

A partir de julho de 2020, o Movimento Xingu Vivo para Sempre passa a produzir o podcast Banzeiro, para falar de coisas importantes para...

Projeto Belo Sun coloca Amazônia brasileira em risco de contaminação

ISA - Uma avaliação técnica concluiu que a mina de ouro que a empresa canadense Belo Sun Mining pretende instalar na Volta...

Debate Amazônia em conflito: quem põe preço e quem dá valor – a disputa entre os predadores e os povos da floresta

A Amazônia sempre esteve em disputa entre os que a parasitam e aqueles que nasceram nos territórios e deles vivem. Há...