Início Notícias Cheia em Belo Monte pode afetar mais gente

Cheia em Belo Monte pode afetar mais gente

O número de pessoas sob risco de alagamento após a construção da usina de Belo Monte pode ser 55% maior do que o estimado pela empresa responsável pela obra (Folha de São Paulo, 14.03.2012).

É o que mostra pesquisa da UFPA (Universidade Federal do Pará) divulgada pelo Ministério Público Federal, que solicitou o levantamento: 25,4 mil pessoas podem ser afetadas em Altamira se o nível do rio Xingu subir na época de chuva.

Para a Nesa (Norte Energia), responsável pela obra, o total é de 16,4 mil pessoas. O número está em relatório de impacto ambiental apresentado ao Ibama -órgão federal que liberou o início da obra no ano passado.

Em Altamira, o nível do rio Xingu costuma ficar em 97 metros em períodos chuvosos, diz o professor André Duarte, participante do estudo.

“Com a construção da barragem, a água ficará quase todo o tempo nessa altura”, diz o professor. “Se chover muito forte ou se a correnteza aumentar, a água vai atingir casas e comércios próximos.”

O estudo da UFPA aponta que a água pode avançar até 110 metros mais do que o estimado pela Nesa.

A diferença remete a critérios técnicos distintos. Segundo a UFPA, a Nesa ignorou o padrão do IBGE e ainda adotou marcos de instituições distintas -ora da Eletronorte, ora da Companhia de Habitação do Pará.

OUTRO LADO
A Norte Energia disse ter adotado os critérios mais adequados às características da região e que a UFPA chegou a “conclusões errôneas”. Afirmou ainda que famílias apontadas no estudo original estão sendo cadastradas para “relocação”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*


Últimas notícias

Um balanço da situação da Amazônia sob Bolsonaro em tempos da Covid 19

Por Rosa AcevedoNesse momento, alguém morre e será enterrado como mais uma nova vítima da COVID 19 na Amazônia. Milhões sentem os...

Protesto contra Norte Energia na Transamazônica termina com demandas enviadas ao MPF

Depois de cinco dias de ocupação e trancamento da Transamazônica na altura do km 27, a manifestação de pescadores, ribeirinhos, agricultores e...

Amazon Communities Protest to Maintain the Xingu River Alive

Foto: Lilo Clareto This Monday morning (11/09), over 150 representatives of fishermen, riverbank communities, family farmers and the...

Comunidades de 5 municípios trancam a Transamazônica por liberação de água no Xingu

Na manhã desta segunda, 9, cerca de 150 pescadores, ribeirinhos, pequenos agricultores e indígenas Curuaya e Xipaya dos municípios de Altamira, Senador...