Início Notícias Violações de Direitos Humanos por Belo Monte podem influenciar avaliação do Brasil...

Violações de Direitos Humanos por Belo Monte podem influenciar avaliação do Brasil na ONU

Nesta sexta, 25, o Estado brasileiro será avaliado pela ONU em Genebra, na Suíça, durante a chamada Revisão Periódica Universal (RPU) do Brasil. A RPU é um processo que avalia os registros de direitos humanos dos 193 países-membro das Nações Unidas e que ocorre uma vez a cada quatro anos.

Apesar de conduzida exclusivamente pelos Estados, a avaliação dos países via RPU é aberta a contribuições das organizações da sociedade civil via relatórios independentes encaminhados ao Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos.

Neste sentido, sete organizações – Sociedade Paraense para a Defensa dos Direitos Humanos (SDDH), Justiça Global, Movimento Xingu Vivo para Sempre (MXVPS), Clínica de Direitos Humanos e Direito Ambiental da Universidade do Estado do Amazonas (CDHDA), Instituto Socioambiental (ISA), Associação Interamericana para a Defesa do Ambiente (AIDA), e International Rivers – enviaram à ONU um extenso documento sobre violações cometidas pelo Estado brasileiro no processo de implantação da hidrelétrica de Belo Monte, denunciando a falha no cumprimento das Medidas Cautelares da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (que pediu a paralisação das obras da usina até que fossem realizadas as oitivas indígenas constitucionais); a ausência de consentimento e consulta livre, prévia e informada das populações tradicionais das áreas de impacto de Belo Monte, como prevê a Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT); violações ao direito à vida, à integridade pessoal, e à saúde em função dos deslocamentos forçados de cerca de 40 mil famílias; e ineficácia dos Recursos Judiciais, sistematicamente anulados por pressão da Advocacia Geral da União.

O relatório sobre Belo Monte faz parte de uma documentação mais ampla que resume a situação de violações sistemáticas dos direitos humanos pela construção de grandes barragens hidrelétricas no Brasil.

De acordo Andressa Caldas, diretora da ONG Justiça Global, o caso Belo Monte é hoje mundialmente conhecido como o exemplo maior de desrespeito as comunidades indígenas e tradicionais, flagrantes violações de direitos humanos e irreversível impacto ambiental. “O governo brasileiro certamente será cobrado por isso e até engrossou a delegação que viajou para Suíça com técnicos somente para responder sobre o tema. Mas não tem como explicar ou justificar esse absurdo”.

O que é a RPU
A Revisão Periódica Universal (RPU) é um processo de revisão dos registros de direitos humanos dos países que compõe a ONU, uma vez a cada quatro anos. A RPU é um processo conduzido pelos Estados, sob o auspício do Conselho de Direitos Humanos, onde é oferecida a oportunidade a cada Estado de expor as ações realizadas para melhorar a situação de direitos humanos no país e cumprir com suas obrigações relativas aos direitos humanos. Como um dos principais mecanismos do Conselho, a RPU foi projetada para garantir tratamento igualitário entre todos os países quando da avaliação da sua situação de direitos humanos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*


Últimas notícias

Nota de solidariedade ao povo Munduruku

O Movimento Xingu Vivo para Sempre quer expressar sua solidariedade ao povo Munduruku, sua indignação contra o cotidiano de violência a que...

Beiradeiros, Xingu Vivo e SDDH entram com representação criminal contra responsáveis por danos à Volta Grande do Xingu

Depois da divulgação de um acordo firmado entre o Ibama e a Norte Energia que, na última semana, permitiu que a empresa...

Ibama e a sentença de morte do Médio Xingu

Por Verena Glass - No ano de 2020, o Médio Xingu sofreu uma das piores secas da sua história. Aliado a um...

Ibama contraria ministério e mantém decisão de determinar que Belo Monte libere água no rio Xingu

André Borges, O Estado de S.Paulo - Pressionado de todos os lados pelo governo, o Ibama decidiu levar adiante a sua decisão...