Início Notícias Esta no ar o documentário Belo Monte: Depois da Inundação

Esta no ar o documentário Belo Monte: Depois da Inundação

Para comemorar o Dia Internacional de Luta contra Barragens, pelos Rios, pela Água e pela Vida, no dia 14 de março, o documentário Belo Monte: Depois da Inundação, dirigido pelo premiado cineasta Todd Southgate, foi disponibilizadol para download gratuito, através do site http://www.belomonteaftertheflood.com/index_port.html

Narrado pelo ator Marcos Palmeira, o documentário conta a história e as consequências de uma das hidrelétricas mais polêmicas do mundo. Através de entrevistas com líderes indígenas, ativistas e moradores locais, Belo Monte: Depois da Inundação demonstra como esse megaprojeto, que custou mais de $30 bilhões – na sua maior parte, financiado com dinheiro público – deixou um legado de violações de direitos humanos e danos socioambientais que desestruturam meios de vida das comunidades locais do rio Xingu.   Ao mesmo tempo, o filme conta a história de lutas dos povos indígenas, movimentos sociais e seus aliados para cobrar justiça e a responsabilização pelos crimes cometidos na Volta Grande do Xingu por Belo Monte, e para evitar a repetição dos mesmos erros na bacia do Tapajós, onde o povo Munduruku e comunidades ribeirinhas têm defendido seus territórios e direitos, resistindo a grandes projetos destrutivos como a UHE São Luiz do Tapajós.

A divulgação on-line do filme vem na sequência de uma série de eventos  de lançamento no Brasil e no exterior desde o final de 2016.  O filme já está se relevando uma ferramenta muito importante para a conscientização e a mobilização popular, tendo sido  premiado com o troféu de júri popular no Festival Cineamazônia realizado em Porto Velho (RO) em novembro de 2016.

Leia também: O filme mais triste do mundo

3 COMENTÁRIOS

  1. Existem centenas de modas de gerar energia hoje em dia, mas infelizmente nosso pais prefere destruir para dizer que está construindo algo de bom para a nossa natureza a humana. Porque nesses últimos milênios a terra vem sendo destruida e ninguém da o minimo de valor. belo monte teve centenas e milhares de pedidos para não ser construida, mas o dinheiro fala mais alto. Se nosso povo fosse unido de verdade muita coisas não seriam construídas para o bem de nossa mãe terra.

  2. Esta UHE de Belo Monte, segundo informações que tive, deverá gerar energia com capacidade máxima durante período das chuvas, ou seja, de no máximo 5 a 6 meses anuais; sendo restante do ano com capacidade, em torno, de 40% por falta de água no reservatório….?

Deixe uma resposta para Oscar Cancelar resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

*


Últimas notícias

Ação Cautelar da Defensoria Pública suspende licenciamento de Belo Sun

Em decisão favorável à Ação Cautelar proposta pela Defensoria Pública do Estado, foi garantida a suspensão da licença de instalação do Projeto de Mineração...

Assassinada há 15 anos, Dorothy Stang segue inspirando resistencias em Anapu

Nesta quarta, 12 de fevereiro, completaram-se 15 anos do assassinato da Irmã Dorothy Stang, contratado por um consórcio de fazendeiros que atuavam...

MPF amplia pedidos à Justiça e quer cancelamento de processos minerários em terras indígenas de todo Pará

MPF/PA- O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou ação com pedido urgente para que a Justiça Federal em Marabá (PA) cancele...

Mineração em terras indígenas: a proposta do governo Bolsonaro em 10 perguntas e respostas

Cristiane Prizibisczki, O Eco - O presidente Jair Bolsonaro assinou, na última quarta-feira (5), o PL 191/2020, que regulamenta a exploração...