Miriam Leitão>>Melhor opção para o governo é desistir de Belo Monte

WE BUILD CONNECTIONS WITH ORGANIZATIONS AND COOPERATE WITH SMART PEOPLE ALL OVER THE WORLD

Reportagem publicada hoje pelo Estadão mostra que mais empresas estão desistindo de Belo Monte. Segundo o jornal, Galvão Engenharia, Serveng e Cetenco fizeram pedido formal para sair do consórcio Norte Energia.  (O Globo, 25.05.2011).

Nos próximos dias, a Contern, do Grupo Bertin, fará o mesmo. O Estadão informa ainda que a J. Malucelli Construtora está disposta a se desfazer da sua participação, se houver interessado, e que a construtora Mendes Júnior também deverá deixar o consórcio. Isso aumenta a dúvida sobre se a obra será executada. Mostra também que a Vale entrou no consórcio de Belo Monte, substituindo a Gaia, do grupo Bertin, por razões políticas, e não por avaliação do custo-benefício e da rentabilidade do negócio.

O governo deve avaliar, de forma sincera, a hipótese de abandonar o projeto, que é ruim sob todos os pontos de vista, como temos falado aqui. Vale lembrar que esse consórcio foi montado no Palácio do Planalto, às pressas, com interferência direta do governo e sustentado nas estatais. À época, escrevi que o consórcio vencedor, que agora está se desfazendo, era o pior.

Todos os alertas feitos foram tratados como se partissem de ambientalistas radicais, quando, na verdade, há dúvidas de engenharia, do ponto de vista fiscal – pode ficar mais caro do que se imagina – e até de rentabilidade. Ou seja, há incertezas de várias naturezas, não só ambientais.

Deixe um comentário