Indígenas da região de Altamira dão ultimato sobre direitos. Sergio Marone acompanha mobilizações

Publicado em 30 de novembro de 2011

Nesta quinta, cerca de 300 indígenas das etnias Xipaya, Xicrin, Kuruaya, Arara, Juruna, Assurini, Araweté, Parakanã e Kayapó, afetadas por Belo Monte, se reúnem em Altamira para cobrar respostas definitivas sobre o cumprimento de medidas relacionadas aos impactos gerados pela usina na região.

Na última semana, as lideranças indígenas exigiram uma conversa com a presidência da Funai e representantes do governo federal e da Norte Energia, além do Ministério Público Federal, para discutir reivindicações já protocoladas junto ao órgão indígena. São cerca de 10 pontos, que incluem basicamente o cumprimento de todas condicionantes indígenas , além do aumento do valor do Plano Emergencial destinado às aldeias pelo período de existência de Belo Monte.

A reunião desta quinta está marcada para as 13h na Casa do Índio, em Altamira. Segundo o MPF, que está intermediando a reunião entre índios, governo e NESA, foram convocados representantes com poder de decisão da Funai, Ibama, Incra, Secretaria Geral da Presidência e a empresa, mas até o fim da tarde desta quarta não houve nenhuma confirmação de participação.

Se não forem atendidos em suas reivindicações, os indígenas poderão acirrar os protestos nos próximos dias, indicaram lideranças nesta quarta.

Gota D’água em Altamira
Para acompanhar a mobilização indígena e discutir os problemas referentes à Belo Monte com as populações locais, os criadores do Movimento Gota D’Água, Sergio Marone e Maria Paula Fernandes, e Enrico Marone, cinegrafista, chegam à Altamira nesta quinta. O grupo deve permanecer na região até segunda da próxima semana

Comentários (12)

  • grisel |

    01/12/2011

    Ótima iniciativa do Sérgio e companhia – Estava preocupada com a necessária participação de alguém (com possibilidade para repercutir na mídia), para acompanhar este processo – além, claro, do importante papel que o MPF e entidades civis tem tido neste caso.

    Responder
  • Ferdinando |

    01/12/2011

    Índio não quer apito, índio quer $$$$$

    Responder
  • Augusto |

    01/12/2011

    Força Xingú!!!

    Responder
  • daniela |

    01/12/2011

    Ola,
    Nao deixem de lutar! Quando parece que chegou ao fim, sigam em frente. Povo da regiao, advogados, cinegrafistas, o fim eh invisivel.
    Eu sugiro iniciarmos um MOVIMENTO. DIa 1 de Março todos aqueles que se importam com a causa, milhoes e milhoes de pessoas do BRASIL e de todos os paises. Todos nos, vamos ate Altamira mostrar que nao permitiremos esta obra NUNCA.
    Se todas as ONGS postarem esta data assim antecipado, teremos tempo de aparecer la na mesma data, e a quantidade de pessoas presente sera mais forte do que assinaturas.
    O que acham?
    ATITUDE.

    Responder
  • Carlos |

    01/12/2011

    aAgora é a hora!! Não a inundação das terras de nosso patrimônio!!

    Responder
  • Aurestes |

    01/12/2011

    Espero que o pessoal do Gota D’àgua, recorde o que aconteceu no encontro dos povos indigenas de 1989 em que a índia kaiapó Tuíra, encostou o facão no rosto de um dos defensores da hidroelétrica e encontre uma maneira de mostrar para a presidenta Dilma que esta transferindo o poder de vida e morte na amazonia para os bandidos ruralistas que queremos o XINGU VIVO PARA SEMPRE.

    Responder
  • Marcelo Willian |

    01/12/2011

    Vocês sabem algo a respeito de uma foto que circula no facebook de forças policiais usando de força bruta para reprimir protestos de indígenas na região de Belo Monte?1

    Responder
  • Niara de Oliveira |

    02/12/2011

    Corrijam a data da postagem, porque a reunião foi ontem (quinta, 1º/12).

    Responder
  • Gyslaine Binda Altoé |

    02/12/2011

    Desde que fiquei sabendo deste absurdo chamado Belo Monte fiquei indignada e com vontade de agir contra isso. Mas, acho sinceramente que precisamos nos organizar em manifestações nas ruas do Brasil, nas capitais num mesmo dia. Somos responsáveis por isso indire ou diretamente, devemos agir. Estamos atrasados!!!!!

    ,

    Responder
  • Lydia Noval |

    03/12/2011

    Mais uma grande região ameaçada, não ha o minimo respeito pela natureza e os povos que lá vivem.
    Tudo em nome do ´´ progresso ´´
    Conhece-se um povo pelo respeito aos seus irmãos e aos animais. É o fim!!!

    Responder
  • Gian Marco |

    08/12/2011

    Oi gente! Tmbm aqui na Italia existe um grupo de pessoas q esta contra esse absurdo, essa loucura. Tem q parar! Eu vou ficar em Belem algums dias no final de ano e gostaria ver com os meus olhos o q esta acontecendo ai e quando voltar na Italia convencer mais pessoas em apoiar esta protesta, com acoes e com din din. Se algem pode me dar dicas de como chegar de Belem agradeco ja agora.

    Responder

Faça seu comentário

Nome
*obrigatório
E-mail
*obrigatório
Website


Divulgue!